segunda-feira, 31 de maio de 2010

Uma campanha a favor da informação


Uma bela biblioteca digital pode ser desativada por falta de acessos!! Estou falando do site Domínio Público do Ministério da Educação. Nele podemos encontrar livros em pdf, música em mp3, obras de arte, vídeos, teses e dissertações, enfim um universo de opções, para acessar vá neste endereço:
http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/PesquisaObraForm.jsp

domingo, 30 de maio de 2010

O que a pesquisa nos leva a descobrir....


Sentença de 1487 - Trancoso, Portugal
Arquivo Nacional da Torre do Tombo

SENTENÇA PROFERIDA EM 1487 NO PROCESSO CONTRA O PRIOR DE TRANCOSO

(Autos arquivados na Torre do Tombo, armário 5, maço 7)

"Padre Francisco da Costa, prior de Trancoso, de idade de sessenta e dois anos, será degredado de suas ordens e arrastado pelas ruas públicas nos rabos dos cavalos, esquartejado o seu corpo e postos os quartos, cabeça e mãos em diferentes distritos, pelo crime que foi arguido e que ele mesmo não contrariou, sendo acusado de ter dormido com vinte e nove afilhadas e tendo delas noventa e sete filhas e trinta e sete filhos; de cinco irmãs teve dezoito filhas; de nove comadres trinta e oito filhos e dezoito filhas; de sete amas teve vinte e nove filhos e cinco filhas; de duas escravas teve vinte e um filhos e sete filhas; dormiu com uma tia, chamada Ana da Cunha, de quem teve três filhas, da própria mãe teve dois filhos. Total: duzentos e noventa e nove, sendo duzentos e catorze do sexo feminino e oitenta e cinco do sexo masculino, tendo concebido em cinquenta e três mulheres".

*Agora o melhor:

"El-Rei D. João II lhe perdoou a morte e o mandou por em liberdade aos dezassete dias do mês de Março de 1487, com o fundamento de ajudar a povoar aquela região da Beira Alta, tão despovoada ao tempo e guardar no Real Arquivo esta sentença, devassa e mais papéis que formaram o processo".

Este arquivo possui um site para pesquisas: http://antt.dgarq.gov.pt/

sábado, 29 de maio de 2010

Morelli, Holmes e Freud




Carlo Ginzburg no seu livro Mitos, Emblemas e Sinais, nos fala sobre o paradigma indiciário, ou seja, analisar as fontes através dos indícios. Ainda nessa obra ele comenta a respeito do surgimento dessa teoria, através do italiano Giovanni Morelli (1816-1891), um crítico de arte, que escrevia artigos sobre a veracidade das obras. Alguns historiadores de arte consideravam sua análise de “método morelliano”, segundo o crítico, diversos quadros foram atribuídos autoria incorretas e para devolver aos verdadeiros criadores, era preciso uma análise bastante detalhada. Era necessário examinar os pormenores mais negligenciáveis, e menos influenciados pelas características da escola a que o pintor pertencia, detalhes como os lóbulos das orelhas, as unhas, formato dos dedos das mãos e dos pés. Com essa técnica ele propôs dezenas de novas atribuições em alguns dos principais museus da Europa. Esse mesmo método indiciário de Morelli influenciou o médico Arthur Conan Doyle (1859-1930), a criar o Sherlock Holmes, que surgiu pela primeira vez com a publicação do livro “Um estudo em vermelho” em 1887, esse personagem é comparável ao conhecedor das artes Morelli, pois Holmes é um detetive que descobre o autor do crime baseado em indícios imperceptíveis para a maioria das pessoas. Um dos contos que mais se aproxima dessa comparação é “a caixa de papelão (1892)”, no qual Sherlock utiliza o método de Morelli descobrindo um caso analisando um lóbulo de uma orelha. E não devemos esquecer que o personagem de Doyle era um médico, que também precisa dos métodos dos indícios para descobrir as causas de uma doença. E sobre Sigmund Freud(1856-1939), talvez muitos não saibam mais em 1914 ele escreveu um ensaio intitulado “O Moisés de Michelangelo” onde ele fala justamente a respeito do método de Morelli. A autoria desse artigo por Freud veio tempos depois de sua publicação, porém ele admite como o pensamento de Morelli influenciou e suas teorias da psicanálise, através da percepção de pequenos gestos inconscientes de uma pessoa é possível observar detalhes importantes sobre sua personalidade. Então Morelli, Holmes, Freud e Ginzburg, perceberam de forma brilhante que os detalhes são importantes para uma pesquisa, as informações ausentes, as presentes, as entrelinhas e as conexões, tudo é importante para a análise de um historiador, afinal segundo A. Warburg: “Deus está no particular”.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Arquivos do Vaticano


A vida hoje de um pesquisador está bem melhor comparada há alguns anos atrás, pois podemos encontrar diversos documentos digitalizados na Internet. E para deixar sua vida ainda mais fácil, estou disponibilizando o endereço do site do Vaticano que digitalizou alguns arquivos do período da Segunda Guerra Mundial,claro que a instituição oficial não vai liberar nada de comprometedor, mas não deixa de ser uma boa pesquisa.A coleção Atos e documentos da Santa Sé relativos ao período da 2ª Guerra Mundial consiste em mais de 9 mil páginas que recolhem 5.125 documentos, uma pequena parte da documentação sobre esta época, contida no Arquivo Secreto Vaticano (cerca de 16 milhões de documentos), cuja catalogação ainda não terminou.Segundo Elliot Hershberg, presidente da Junta da PTWF, “sentíamos que era necessário abrir estes arquivos, os quais certamente não são um substituto da plena abertura dos arquivos dos anos da guerra. No entanto, junto com a ordem do Papa Bento XVI de abrir os Arquivos Secretos até 1939, agora temos um quadro histórico mais claro das ações secretas do Papa Pio XII e da sua postura com relação ao povo judeu, sua aversão a Hitler e seu secreto trabalho para derrotar o regime nazista”.
www.vatican.va/archive/actes/index_po.htm

sábado, 22 de maio de 2010

O uso da imagem em movimento na sala de aula


O uso do filme em sala de aula está bastante popularizado, mas assim mesmo devemos levar em conta algumas considerações sobre essa arte. Ao decidir pelo uso do filme nas aulas, temos que lembrar que ele é um misto de arte e técnica, um artefato construído para agradar o público e vender, que envolve muito investimento financeiro e uma enorme equipe.Seu compromisso é com o espetáculo e não com a verdade. Cada detalhe da obra é pensado cuidadosamente para causar uma catarse, pois é essa a intenção de quem produz.Mas também o cinema é um produto cultural do modo como a sociedade se vê, além de ser um lazer maravilhoso! Temos que levar em conta que a imagem cinematográfica é a presença: da câmera e de quem realizou o filme, sendo assim o filme é uma fonte documental para o historiador, pois o que se vê na tela é um tipo de registro do que aconteceu em algum lugar, em algum momento.

O uso da imagem fixa na sala de aula




A utilização da imagem em sala de aula é fundamental para o processo de ensino aprendizagem, por exemplo as obras de Bruegel sobre o período da Idade Média, ilustram o cotidiano desta época, com essas imagens é possível problematizar com os alunos diversos assuntos relacionados a História. Mas para o professor que pretende se dedicar ao uso das imagens fixas na sala de aula, ele deve levar em conta alguns aspectos,como por exemplo,que a imagem é polissêmica, pois até um simples retrato admite várias interpretações, ela pode representar os nossos sentimentos no momento em que a observamos, cabe ao professor está atento as estas diferenciações de sentido.Outro fator importante é que a imagem possui um efeito de realidade, o que torna escorregadio o terreno para quem decide pelo uso de imagens ,ou seja, a capacidade da obra de parecer com a própria realidade, um exemplo disso é comparar o quadro de D. Pedro I e D. Pedro II com os alunos, quem é o pai e quem é o filho. Sabemos que a construção da imagem de Pedro I como jovem, estava relacionada com as intenções políticas da representação de um novo império e a de Pedro II velho, a de um país pós-monárquico que demonstrava as intenções dos republicanos em explicar a queda da monarquia envelhecida que não teria mais continuidade.Fica aqui então o conselho para quem vai utilizar a imagem fixa em sala de aula, é necessário explicar e contextualizar historicamente cada obra, porque ver não é sinônimo de conhecer!

A história das marcas


Antes de estudar história e seguir carreira na área, estudei por um breve período publicidade, um dos livros que li neste curso foi do historiador Peter Burke - A fabricação do Rei - a construção da imagem pública de Luís XIV, que discute a história das representações e como foi administrada a imagem do Rei. Anos depois usei o mesmo livro na graduação em história, uma obra fantástica que compõem minha biblioteca até hoje. Ultimamente em minhas aulas do mestrado, temos discutido bastante a utilização de siglas e símbolos na história política, e também nos meios de propaganda, quando vi no site café história a indicação do blog sobre a história das logomarcas no Brasil, considerei a pesquisa de enorme importância, por isso, estou disponibilizando para vocês o endereço do blog, quem sabe sairá uma nova pesquisa a partir desta análise.
http://www.mundodasmarcas.blogspot.com/

Foto: Preservativos Jontex.

Resumo da história segundo o "Mundo das Marcas":

A marca de preservativos JONTEX foi introduzida no mercado brasileiro no longínquo ano de 1937 pela empresa americana Johnson & Johnson, em uma época que falar sobre sexo ainda era tabu. O nome da marca é a junção das iniciais sem a letra H da palavra JOhNson e das três últimas letras da palavra láTEX, principal matéria-prima do produto. No logotipo a letra “O” é representada pelo símbolo utilizado para designar o sexo masculino.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Isto não é um cachimbo



Conforme falei na postagem anterior sobre Magritte, muitos acadêmicos estudaram e estudam seus desenhos.Esse é um trecho do livro: Isto não é um cachimbo de Michel Foucault sobre a arte dialética de Magritte. "O desenho de Magritte (só falo por ora da primeira versão) é tão simples quanto uma página tomada de um manual de botânica: uma figura e o texto que a nomeia. Nada mais fácil de reconhecer do que um cachimbo desenhado como aquele; nada mais fácil de pronunciar – nossa linguagem bem o sabe em nosso lugar – do que o "nom d'une pipe". Ora, o que produz a estranheza dessa figura não é a "contradição" entre a imagem e o texto. Por uma boa razão: não poderia haver contradição a não ser entre dois enunciados, ou no interior de um único e mesmo enunciado. Ora, vejo bem aqui que há apenas um, e que ele não poderia ser contraditório, pois o sujeito da proposição é um simples demonstrativo. Falso, então, porque seu "referente" – muito visivelmente um cachimbo -não o verifica? Mas quem me dirá seriamente que este conjunto de traços entrecruzados, sobre o texto, é um cachimbo? "

domingo, 16 de maio de 2010

René Magritte




Sei que gosto pela arte é algo particular que uma obra pode ser tocante para uma pessoa e para outra ser apenas um borrão de tinta. Mas assim mesmo, vou apresentar para vocês o fabuloso René Magritte (René François Ghislain Magritte), ele nasceu em Lessines, Bélgica em 1898 e morreu em 1967. Relutou bastante na classificação da sua arte como surrealista. Sua obra é muito complexa e obriga ao raciocínio, as interpretações de seus quadros levam a trabalhos filosóficos, muitos acadêmicos se dedicam a compreendê-lo. Espero que gostem!

O imortal contador de histórias...



Recentemente assisti a um filme que adorei do cineasta Terry Gilliam que já produziu obras que chamam atenção por sua estranheza e pela qualidade inegável. Ele realizou loucuras como “Medo e Delírio”, “Os Bandidos do Tempo”, “Os 12 Macacos” e “O Pescador de Ilusões”.A sua obra atual que gostei foi “O Mundo Imaginário do Dr.Parnassus”, o visual do filme desponta com o cenário de uma Londres decadente, o mundo imaginário que alguns personagens visitam é de fato fantástico e inusitado. A finalização do filme passou por muitas dificuldades após a morte de um de seus atores principais – o australiano Heath Ledger -, Os amigos de Ledger (Depp, Law, Farrell), que se propuseram a finalizar o filme em nome do falecido, doando o cachê para a filha do ator, também se destacam na obra, vivendo as diferentes faces de um homem. Um dos questionamentos do filme é sobre a morte da história e do mundo imaginário, exercício interessante para os historiadores!

Nos anos 40 desembarcava na cidade, Orson Welles...




Um dos maiores cineastas da história mundial, visitou Fortaleza para gravar cenas na praia do Mucuripe.A razão? Na praia de Iracema em 1941,Manuel Olímpio Meira, um pescador cearense mais conhecido por Jacaré e mais três jangadeiros - Mestre Jerônimo (Jerônimo André de Souza), Tatá (Raimundo Correia Lima) e Manuel Preto (Manoel Pereira da Silva) - saíram do Ceará com destino ao Rio de Janeiro - na época a capital da República - distante 1.500 milhas náuticas (mais de 2.700 km), navegando na jangada “São Pedro”. Sem cartas, sem bússolas e munidos apenas de seu conhecimento prático e coragem, foram reivindicar junto ao Governo de Getúlio Vargas melhores condições da comunidade de pescadores de sua região, tentando fazer com que sua profissão fosse reconhecida, impedindo os pescadores de obter seus direitos trabalhistas.Sobre esse assunto, recomendo o livro "do mar ao museu - a saga da jangada São Pedro" da historiadora Berenice Abreu de Castro Neves.Depois que Orson Welles soube do fato heróico dos pescadores, resolveu levar a história ao cinema.

A Fortaleza de ontem...







A cidade de Fortaleza tem muita história impressa em seus muros, são casarões, praças, cinemas, igrejas e prédios. Monumentos são parte do patrimônio cultural de um povo ou de uma nação, eles servem como um elo entre presente e passado dando um sentido de continuidade.E pensando nesse enorme patrimônio histórico que minha cidade possui, vou disponibilizar algumas imagens de vez em quando no blog, para os interessados copiarem e a partir dessa experiência observar a cidade com um novo olhar.
Legenda das imagens:1 - o povo em passeata no ano de 1942 no episódio do quebra-quebra,2-bonde,3-café na praça do Ferreira,4 - Praia de Iracema em 1940, 5-Praça do Ferreira em 1930.

domingo, 9 de maio de 2010

Uma boa indicação!



Existem filmes que são marcantes em nossa vida, às vezes por tocarem em assuntos delicados ou simplesmente por conseguirem risadas inesquecíveis, os dois filmes que vou indicar se encaixam nessas duas definições, são filmes inteligentes, com bons roteiros e excelentes fotografias são eles: trem da vida e casamento silencioso, Ambos os filmes fazem críticas políticas suaves, o primeiro contra o movimento nazista e o segundo ao comunismo, existem diversas semelhanças entras as duas obras como a simplicidade dos dois vilarejos, os sujeitos peculiares de cada lugar e a beleza sutil das duas histórias narradas com harmonia entre a comédia e o drama. Eis os resumos de cada um:

Trem da vida - Europa Oriental, 1941. Em uma remota aldeia com uma população basicamente de judeus Shlomo (Lionel Abelanski), o louco do lugarejo, anuncia que os nazistas estão chegando e que a aldeia deles será a próxima que deverá ser atacada por eles. O conselho de sábios da aldeia delibera o que deve ser feito, mas é Shlomo quem tem uma idéia inspirada ao elaborar um plano de fuga, no qual eles simularão uma falsa deportação com parte dos judeus se fazendo passar por nazistas, com os falsos alemães levarão os "prisioneiros" até a Palestina. Embora vários estejam convencidos que Shlomo está fora de seu juízo perfeito, o plano segue adiante. Primeiro são selecionados certos membros da aldeia para se fazerem passar por nazistas, com vagões sendo comprados e reformados. Logo o trem está pronto e a aldeia é deixada para trás, mas quando começa a viagem algo inesperado acontece: as encenações se tornam mais realistas, pois os "nazistas" se tornam mais autoritários. Os "deportados" tramam uma rebelião contra seus falsos algozes e outros se declaram "comunistas", além disto, surgem verdadeiros alemães no caminho.

Casamento silencioso - Na Romênia de 1953, Mara e Iancu preparam-se para se casar, todos os habitantes da vila estão ansiosos para a festa dos noivos, porém, para o espanto de todos, o prefeito da cidade junto ao comandante do regimento anunciam uma semana de luto devido à morte de Stalin. Durante essa semana, nenhuma festa ou comemoração são permitidas. Apesar da proibição, os noivos e seus convidados irão mostrar muita criatividade para continuar a festa.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Linha do tempo


Um casal americano chamado Diego e Susy Goldberg, fazem a sua linha do tempo desde que se conheceram até o nascimento dos filhos, fotografando suas mudanças físicas até hoje. É fascinante!
Olhem no site:
http://zonezero.com/magazine/essays/diegoTime/Time.html

Música , História e Educação - Site que disponibiliza álbuns para downloads gratuitos e legais


A cada dia fico mais preocupada com o gosto musical dos jovens e pensando nisso vou proporcionar uma oportunidade única de todos conhecerem um site que adoro, com artistas que de fato dão valor ao termo: arte musical. "O Jamendo possui atualmente mais de 33 mil álbuns disponíveis para download gratuito e legal, divididos em diversos gêneros: rock, indie, jazz, instrumental, hiphop, funk, trance e outras dezenas. Como é também uma rede social colaborativa e online, os usuários, que já ultrapassam a marca dos 700 mil em todo o mundo, podem contribuir com resenhas e até mesmo acompanhar via e-mail notícias de seus artistas preferidos. Hoje, já são mais de 200 mil álbuns resenhados pelos mais diversos ouvintes. Se você gosta de um álbum, por exemplo, ainda pode contribuir para o artista com uma doação em dinheiro".
http://www.jamendo.com

Milhares de fotos tiradas entre 1850 a 1950 nos EUA


Se você assim como eu adora fotos antigas, esses dois sites americanos http://www.shorpy.com e http://vintagraph.com/, digitalizaram milhares de fotos do cotidiano de várias cidades norte americanas entre 1850 a 1950. O Shorpy é um blog de fotografias que reúne milhares de imagens em alta-definição.O nome "Shorpy" é uma homenagem feita a Shorpy Higginbotham , um adolescente de apenas 14 anos que trabalhava em uma mina de carvão há 100 anos, no Alabama, Estados Unidos. São conhecidas apenas três fotos do garoto. Mas os cenários em que aparece possuem, segundo os fundadores do blog, uma proximidade tão peculiar e surpreendente, que foi este o nome escolhido para simbolizar o poder de retenção do passado pelo registro fotográfico. A maioria das fotos são retiradas da biblioteca do Congresso Americano, elas foram recuperadas e tratadas, o resultado é incrível. Divirta-se!

Dicas para comprar livros


Meus amigos vou dá uma dica de bons sites para comprar livros novos e usados:

http://www.estantevirtual.com.br/

http://www.traca.com.br/

http://www.americanas.com.br/AcomDept/1472

http://www.submarino.com.br/

Porém..se você deseja baixar livros digitalizados ou em pdf, esse site é uma maravilha:

http://www.4shared.com/

Boas compras!!!

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Minha pesquisa no mestrado em história


Pesquiso sobre a formação do discurso psiquiátrico na cidade de Fortaleza no final do século XIX, a partir da criação do primeiro asilo de alienados e a publicação de 10 cartas sobre a loucura, minha análise principal é a emergência desse discurso e a criação de um espaço asilar para loucos no período de planejamento urbano da capital.

Regulamentação da profissão de historiador

A primeira iniciativa no sentido de regulamentar a profissão se deu no ano de 1968, com a denominação de Historiógrafo. O projeto foi então apresentado à Câmara Federal pelo Deputado Ewaldo de Almeida Pinto. Ele acatou um anteprojeto de regulamentação que lhe foi apresentado por Heródoto Barbeiro, hoje um conhecido jornalista da TV Cultura, à época presidente da Federação Brasileira de Centros de Estudos Históricos (FBCEH), ligada a União Nacional dos Estudantes. O projeto foi arquivado por intervenção direta de representantes do regime militar no Congresso, pelo fato dele advir do Movimento Estudantil, uma das principais forças de contestação ao regime, naquele momento.De lá pra cá, já se passaram mais de 42 anos e diversos projetos foram apresentados, várias outras profissões já foram regulamentadas, mas ainda não a do historiador, porém estamos na luta e com bastante entusiasmo para conseguir essa vitória.

Finalmente - minha primeira postagem!

Sobre a minha iniciativa de criar esse espaço, foi tanto para conhecer pessoas novas, como também para discutir sobre a profissão de historiador e principalmente falar sobre temas de pesquisa de pós-graduação, trocar ideias, tratamento de fontes e bibliografias, espero que dê tudo certo e seja útil a todos, tenho muito a falar e quero muito aprender com as pessoas que aparecerem por aqui. Abraço a todos!